| 

Educação

Aula Inaugural do Programa Paulo Freire é realizada em Agrestina


 
No dia 1º de dezembro foi realizado, em Agrestina, a aula inaugural do Programa Paulo Freire. O evento aconteceu na EREM Professor José Constantino. Estiveram presentes a coordenadora Estadual do Programa Paulo Freire, Janice Feitosa, Coordenadora Regional do Programa Paulo Freire, Nadja Trindade e representantes da GRE Agreste Centro Norte, além de coordenadores, alfabetizadores e alunos que irão atuar e participar do programa, que terá a duração de oito meses. Na ocasião, durante a aula inaugural, foram realizadas apresentações culturais, com o grupo Mazuca de Agrestina, que contou com a presença do vice-prefeito do município Zito da Barra, a secretária de Educação Joelma Leite e o secretário de Cultura e Turismo, Josenildo Santos.

As aulas tiveram início nesta quarta-feira (6), na zona urbana e rural do município. As escolas contempladas com o programa serão a Escola Maria Edelvita e Escola Mãe Rainha, na zona urbana e Sítio Riachão do Maracajá, Sítio Pereira, Sítio Riacho do Peixe na Escola Maria Stela, Vila Barra do Chata, Escola São Rafael no Sítio Saquinho, Vila Barra do Jardim, na zona rural.

Programa Paulo Freire é destinado a alfabetização e letramento de jovens, adultos e idosos, tendo como público pessoas com 15 anos ou mais, não alfabetizadas, residentes em zona urbana, zona rural e tem como objetivo  promover uma educação de qualidade social para a população jovem, adulta e idosa não alfabetizada, assegurando seu ingresso e permanência no processo educativo, garantindo-lhes as oportunidades necessárias à apropriação do conhecimento formal, exercício da cidadania ativa e seguridade social. Em Agrestina, o programa contará com 21 turmas.

 Para a coordenadora municipal do Programa Paulo Freire, Meire Silva, o objetivo é reduzir os índices de analfabetismo no município. “Para nós que fazemos a Educação em Agrestina é uma satisfação enorme receber o projeto e com ele conseguir que o número de analfabetos em nosso município seja diminuído. Esse projeto é uma forma de colaborar para que esse índice de analfabetismo seja cada vez menor em Agrestina”, disse.