| 

Gastronomia


A gastronomia do município segue o padrão da comida regional nordestina: a base de milho; mandioca; castanha de caju; buchada; mão de vaca; carne de bode e carne de boi, com destaque para a carne de sol, oferecida em quase todos os restaurantes urbanos. Destaca-se também, a produção de doce de leite em barra, que sai da Zona Rural para diversas cidades de Pernambuco e até para outros estados brasileiros.




ALFENIM
Há quem diga que o alfenim tem o gosto de saudade. Segundo a história, trazido originalmente pelos espanhóis e portugueses, o alfenim se tornou típico de Agrestina. O doce é feito com água, açúcar, limão e um pouco de goma de mandioca, que são moldados em formatos de flor, aves, cavalos, espingarda, cachimbo e outros ícones do Agreste pernambucano.








CARNE DE SOL
Feijão de corda com carne de sol, manteiga de garrafa e farinha quebradinha. A gente come tanto chega, chega, chega se lambuza". Como diz a letra do compositor Onildo Almeida, o prato típico nordestino acompanhado com macaxeira ou feijão verde, está no cardápio de praticamente todos os restaurantes de Agrestina.







BEIJU E TAPIOCA
A base dos dois pratos de origem tupi-guarani é a mesma: mandioca. No caso da tapioca, uma massa é aquecida até formar uma espécie de panqueca, depois recheada com os mais diversos acompanhamentos, sendo o mais tradicional o coco. Já o beiju possui uma consistência mais rígida. Ambos podem ser encontrados, em dias de feira, no Mercado Público Municipal.











COCADA CASEIRA
A cocada caseira é uma iguaria  produzida e comercializada na feira de Agrestina pela doceira Maria Sofia. O doce é produzudo a base de áçucar e coco ralado.









PASTEL COM CALDO DE CANA
Uma das guloseimas mais famosas das feiras livres é o tradicional pastel com caldo de cana. Quem visita a feira livre de Agrestina não pode deixar de experimentar.